terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Luiz Maranhão: O último Pioneiro


Luiz Maranhão foi um conhecido teatrólogo, radialista e cineasta pernambucano nos idos da primeira metade do século 20. É considerado o último pioneiro do Ciclo do Recife por ter participado dos últimos três longas-metragens do movimento: Verônica (1928), Destino das Rosas (1929) e No Cenário da Vida (1930). Também participou, juntamente com Ary Severo de uma refilmagem de uma cena de Aitaré da Praia, cujo latão correspondente a ela perdeu-se, possivelmente num incêndio, algo comum com os celulóides, material da película naquela época.


Após o final do cinema mudo, Maranhão foi um destacado radialista, embora não tenha abandonado o teatro, cuja bagagem adquirida em São Paulo, antes de retornar ao Recife foi de grande valia para o movimento, cuja dinâmica das encenações fizeram evoluir nítidamente alguns parâmetros. Segundo o seu filho, o jornalista e doutor em cinema Luiz Maranhão foi a partir de seu pai que o movimento conheceu a figura do diretor de cena, até então desconhecida. Visto que, havia apenas o diretor geral, e estava subjugado a ele a total responsabilidade do filme, e todo o acúmulo de funções.

3 comentários:

  1. Gostei do desenho e tb de saber mais sobre a história do cinema pernambucano. Bjss

    ResponderExcluir
  2. Meu bisavô.

    ResponderExcluir